A pandemia das luvas e máscaras descartáveis


Uma caminhada em passo rápido, por sítios sem movimento e sempre perto de casa, para movimentar as pernas que reclamam ao fim de tantos dias confinadas ao espaço que têm tido para andar, em casa. A cabeça também agradece, o ventinho mesmo fresco ajuda a manter o foco e a reequilibrar os pensamentos que tentam ficar turvos, metidos e confinados ao espaço da cabeça, fechada em casa. Olhando para o chão, vejo uma luva desmaiada. Ali deixada por alguém que se protegia. No meio do passeio, na rua em plena avenida. Não a posso apanhar, poderá estar contaminada e eu não saí para passear, saí para caminhar e rápido sem nada trazer. Se ao menos tivesse um lenço de papel, poderia correr o risco de a apanhar para a depositar onde devia estar. Não posso, ali a deixo.  Andamos a fugir de uma, para entrarmos noutra, a pandemia das luvas e máscaras descartáveis. 


Foi o que me acompanhou depois o pensamento no resto da caminhada, então e agora onde vão parar todos estes resíduos? Tantos, mas tantos descartáveis que são agora utilizados no combate à doença, testes, zaragatoas, agulhas, tantos, mas tantos pacotes de utilização única que necessitamos agora usar para logo de seguida, descartar. Se a maior parte de nós os enviar pelo menos para onde devem ir, talvez a consequência seja menos grave para o nosso planeta, veja aqui informação sobre o correto encaminhamento deste material, para tentarmos prevenir a próxima, a pandemia das luvas e máscaras descartáveis. 


Se nada fizermos e tal como quem utilizou aquela luva ali desmaiada atrás, deixarmos o que nos protege no chão da rua, em qualquer lugar, vamos voltar a encontrar muitas delas no mar. Grande parte do lixo que encontramos no mar, vem da terra. Para quem não sabe existem muitas formas de ajudar a prevenir essa contaminação dos mares, assim como existem formas de participar na ajuda da limpeza dessa mesma contaminação, conheça esta aplicação por exemplo, Lixo Marinho.



A juntar a estas luvas, começam a aparecer nas praias e nas margens dos rios, tantos outros descartáveis de utilização única que ali não pertencem. É uma triste realidade. Por um lado, temos o grupo dos esperançosos, todos aqueles que como nós sonham com pequenas mudanças, com um mundo melhor, com pessoas que aprendem com as adversidades da vida e aproveitam para alterar o seu estilo de vida. Por outro lado, temos os outros todos, os que de nada se parecem importar. De que adianta bater palmas à janela se depois deitamos no chão o nosso próprio lixo? Estes últimos, são os responsáveis pelo novo problema ambiental, a pandemia das luvas e máscaras descartáveis. 


Somos totalmente a favor destes produtos, também temos luvas no nosso site. As nossas luvas são feitas em latex natural, a utilização deste tipo de materiais não implica que possam ser atiradas para o chão, no fim da sua utilização! Os produtos ecológicos para quem não sabe, tem de ser também depositados no lixo respetivo ao material, caso contrário deixam de ser amigos do ambiente e passam a ser outro tipo de poluição não plástica, mas poluição na mesma. E não se esqueça que todas as luvas descartáveis, ecológicas ou não, devem ir para o contentor do lixo comum.


Existe uma grande confusão entre a maior parte da população, sobre o fato de usar ou não usar máscara, usar ou não usar luvas, nós apelamos sempre a que sigam as recomendações da Direção Geral de Saúde e do Serviço Nacional de Saúde.

Por ser uma situação nova para todos nós, esta pandemia provocada pelo aparecimento da doença COVID19, ninguém sabe ao certo o que é melhor fazer, é legitimo não saber. Mas a pandemia das luvas e máscaras descartáveis, essa todos temos obrigação de evitar. Todos devemos saber que o lixo não se deita para o chão. 


Ao voltar desta caminhada encontro uma senhora a passear o seu cão, tão pequenino e engraçado. A fazer as suas necessidades no passeio mesmo em frente à entrada de um prédio. A senhora prontamente tirou da algibeira um saquinho e recolheu os pequenos dejetos do seu cão. Eu sorri! Porque estas pessoas também existem e porque juntos conseguimos fazer alguma diferença. 

A esperança de conseguirmos passar a palavra, de conseguirmos explicar às pessoas que o lixo que fazemos em terra, vai parar ao mar, que os ecossistemas estão intoxicados com o lixo que nós fazemos é a esperança que nos move. Eu e a Bárbara tentamos melhorar todos os dias algo que ainda não fazemos bem, resulta. Tentem vocês também. Evitaremos assim a pandemia das luvas e máscaras descartáveis.

Juntos faremos parte da solução, deixaremos de fazer parte do problema. O resultado disto será benéfico para a nossa vida e para a nossa própria felicidade. 


Já deitou algum lixo para o chão? 

Na próxima vez, não deite!

Bárbara & Susana 

Eco greetings.


Contacte-nos

(+351) 966 217 420

(+351) 915 399 615

geral@puroverde-ecostore.com

  • Facebook - Black Circle
  • Instagram - Black Circle
  • Pinterest - Black Circle

Fale connosco

Todos os direitos reservados © 2019 Puro Verde. Criado por UMMAISUM - creative studio