Cigarros, beatas, lixo


Às 7h58m parte o comboio, rumo a Lisboa, rumo a mais um dia na vida de tantos de nós.


Para trás na estação ficam as beatas matinais, desmaiadas ou já mortas, umas na linha outras no passeio.


O que levará as pessoas a deitarem para o chão o seu próprio lixo, com uma facilidade que impressiona?


Não vêm, não estão ali no momento. A maior parte entra e sai a olhar para o seu telefone, a fumar ou não. Alguns assustam-se se lhes dissermos bom dia, outros olham-nos como se não falássemos a mesma língua. E todos andam para mais um dia não vivido das suas vidas sem vida.


Saberão estas pessoas o que andam a fazer? Que mais dia menos dia estarão deitados na praia ao lado do lixo que hoje atiram para o chão?


Para muitos só vendo, para outros nem assim….


Agora fala-se de multas, penalizações para quem deitar a sua beata no chão. Irá com certeza ajudar a diminuir a quantidade de beatas que hoje se vêm perdidas nas ruas, mas não deixa de ser espantoso ter de haver uma multa para que o ser humano seja obrigatoriamente cívico.


Talvez nessa altura se apanhe o comboio numa estação livre de beatas, veremos...