Economia circular, o produto sustentável, para ser circular tem muitas voltas que dar.

Ora então neste nosso novo artigo, decidimos partilhar convosco as nossas próprias dificuldades, esperamos assim que ao partilhar pensamentos, se torne mais fácil para todos. Aceitam-se opiniões, por isso não hesitem em comentar.


Economia circular, o produto sustentável, para ser circular tem muitas voltas que dar.

Já ouviram falar de economia circular? Ou de produtos sustentáveis na economia circular? Há quem nunca tenha ouvido falar nisso, embora seja algo que já se estuda há muito tempo. E agora, existem bastantes produtos ecológicos no mercado, que tende para um conceito mais sustentável. Quais as diferenças entre eles? Serão todos os produtos ecológicos bons para a vida mais sustentável?

A internet veio trazer a rapidez da propagação de informação, mas não trouxe só isso. Com ela, chegou também um excesso de informação capaz de triturar um cérebro em poucas décadas, porque andamos todos literalmente com a cabeça no telemóvel a convencer os nossos cérebros que sabemos muito, porque lemos muitas notícias, porque é só procurar no Google e já está! Desde eco friendly na loja ecológica, existem muitos termos a serem usados incorretamente.

Assumimos títulos de cabeçalhos, como noticias completas que lemos num ápice e logo falamos sobre isso na primeira oportunidade de conversa, achamos que sabemos tudo, em vez de percebermos que ainda, tão pouco sabemos.

Escolhemos a economia circular aleatoriamente, porque há imensos temas que gostaríamos de abordar. Não somos peritas nisto nem pretendemos ser, mas a verdade é que já aprendemos alguma coisa e cada vez mais notamos o desconhecimento, vagueando de conversa em conversa pelas ruas fora. Um dos mais flagrantes exemplos é quando ouvimos alguém referir a reciclagem como objetivo da economia circular, tamanho erro, anda por aí à solta.

O facto de um produto ser reciclável, num país onde se faz a reciclagem correta do material com que é feito, não é, nunca sinónimo de produto que se possa considerar um produto da economia circular. A reciclagem é o último recurso da economia circular, quando o produto que nasceu sem utilização de matéria-prima não renovável, serviu para o efeito para o qual foi concebido, foi reaproveitado quando deixou de servir e tornou-se noutro produto útil, até o desgaste final dos materiais, aí sim e em último recurso, foi para a reciclagem. Poderá aqui começar a ser estudada a circularidade do mesmo, sim porque depois também contam as viagens que os materiais fazem, os processos de produção, as viagens do produto para os consumidores e um rol de passos que dariam 2 voltas ao mundo não fossem as ferramentas felizmente já estudadas e à disposição dos utilizadores interessados. Deixamos aqui o link para quem já está mais familiarizado com estes termos.


Não podemos definir um produto ecológico, como um produto da economia circular, não é tão simples assim. Até mesmo no desperdício zero um produto pode não ser considerado para a economia circular, sabiam?

Até ser circular tem muitas voltas para dar, que mais não seja às nossas cabeças, porque sejamos realistas os produtos são comprovadamente bem melhores para o meio ambiente, mas têm de ser sustentáveis para a economia, as industrias tem de aprender sobre o valor acrescido que pode trazer, pois essa é a única forma de se conseguir fazer algo que vai sim, salvar o nosso planeta e salvar a possível extinção da espécie humana.

Qualquer hábito que cada um de nós altera no sentido de se tornar individualmente uma pessoa mais sustentável, é sem dúvida um excelente começo e contribuição, fazer o menos lixo possível e usando dicas de desperdício zero, cada um de nós pode contribuir para um consumo eco friendly, agora basta ouvir a comunidade científica para começarmos a perceber que a mudança, para ter efeito tem já de ser em grande escala. O estrago está mais que feito e muito avançado, para se conseguir travar apenas com pequenos passos.

Hoje em dia basta consultar uma rede social para observarmos a quantidade enorme de novos negócios sustentáveis, muito preocupados com o meio ambiente a vender tudo o que lhes seja possível com o selo da sustentabilidade, desperdício zero, eco friendly. Podemos criticar? Não. Todos têm um rendimento a atingir para que possam sobreviver na sociedade em que vivemos.

Em Portugal existem pessoas que passam fome, uns porque se colocaram a si próprios nessas situações, por escolhas mal feitas, outros porque nunca tiveram oportunidades a que se pudessem agarrar. Como podemos querer que estas pessoas saibam o que é a economia circular? São muitas vezes bastante amigos do ambiente porque as suas condições de vida não permitem os luxos que poluem o planeta, injusto.

Aceitam-se opiniões, cada um tem a sua e devemos respeitar. Acima de tudo partilhar conhecimento de forma a saber o que o outro pensa, não impondo a nossa verdade a ninguém é a forma que mais nos agrada. Afinal todos temos umas ideias, umas melhores que outras.

Qual a forma mais simples de partilhar informação sobre a economia circular? Para que chegue a todos este assunto devia ter uma linguagem uniforme, hoje em dia existem centenas de interpretações sobre o tema. Porque não simplificar a informação, uniformizar e partir de princípios simples e básicos que nos ajudem a todos, a ajudarmos o planeta e como consequência ajudarmos a manutenção das espécies?

Será possível simplificar a informação sendo o assunto tão complexo?

Se refletirmos sobre outro tema como por exemplo as alterações climáticas, sabemos que há mais de 45 anos atrás a comunidade científica divulgava os estudos com as informações sobre o que nos esperava, hoje estamos a viver esses resultados já estudados no passado. Podemos imaginar que em relação à economia e ao ambiente se passará o mesmo, os estudos já nos ensinam o que virá a seguir.

Somos a única espécie do planeta a conseguir pensar no futuro, dizemos que somos a espécie mais inteligente entre todas as espécies, mas comportamo-nos como se fossemos totalmente ignorantes uma vez que as nossas ações indicam que numa questão de tempo, acabaremos com a biodiversidade e como tal a nossa própria espécie não sobreviverá.

A inteligência tem muito que se lhe diga, não seria para estarmos a ver e a sentir estes resultados. Desigualdade, fome, falta de cuidados de saúde, educação, igualdade de género, saneamento e água potável, emprego digno, e tantas outras sustentabilidades insustentáveis para grande parte da população neste mundo.

A ideia de implementar uma economia circular é para nós uma boa ideia, poderíamos trabalhar juntos nisso se a emergência da necessidade não nos viesse sempre bater à porta.


Com o nosso blog pretendemos apenas divulgar que conseguimos ser uma ponte para quem tenha vontade de fazer a diferença. Partilhem as vossas opiniões com respeito e juntos conseguimos aprender melhor. Não vendam produtos circulares só no rótulo, esse é o problema que emerge, a desinformação das notícias rápidas lidas à pressa nos telemóveis. Uma loja ecológica deve ter em conta muitos fatores para além da constituição dos produtos que vende como produtos ecológicos.

Aceitam-se opiniões, venham daí com os vossos comentários e juntos debatemos o assunto da melhor forma!

Para uma vida mais sustentável.

O planeta agradece.


Bárbara & Susana

Contacte-nos

(+351) 966 217 420

(+351) 915 399 615

geral@puroverde-ecostore.com

  • Facebook - Black Circle
  • Instagram - Black Circle
  • Pinterest - Black Circle

Fale connosco

Todos os direitos reservados © 2020 Puro Verde. Criado por UMMAISUM - creative studio